Vídeo-entrevista: devo utilizar na minha empresa?

O mundo do recrutamento continua a evoluir à medida que novas tecnologias se tornam cada vez mais acessíveis aos empregadores. A vídeo-entrevista vem ganhando muita popularidade no RH nos últimos dois anos, acompanhando os desafios crescentes da área.

Por que usar vídeo-entrevista na minha empresa?

Custos menores

Os candidatos não precisam sair do conforto de sua própria casa para gravar uma vídeo-entrevista e, portanto, economizam dinheiro em despesas de viagem, alimentação e alojamento.

Por outro lado, os funcionários também economizam dinheiro, pois não precisam reservar um local para entrevistar seus candidatos. Além disso, ambas as partes podem voltar às suas rotinas assim que terminarem a entrevista, gerando pouco impacto em sua produtividade.

Economia de tempo

Em processos seletivos maiores, muitos candidatos se perdem no meio da multidão, ou os recrutadores simplesmente se esquecem deles depois de entrevistar outras 50 pessoas, o que é perfeitamente compreensível.

Com a vídeo-entrevista, um recrutador tem a possibilidade de voltar e assistir a entrevista novamente. Dessa forma, ele consegue se certificar de que eles selecionaram os melhores candidatos para o trabalho.

Seleção remota de candidatos

Se os recrutadores estiverem abertos à ideia de contratar um trabalhador remoto, as vídeo-entrevistas serão o ambiente perfeito para os candidatos mostrarem suas habilidades.

Primeiramente, eles precisam ser capazes de se comunicar de forma eficaz e responder em tempo hábil, bem como possuir habilidades técnicas suficientes para responder os testes da vaga. Além disso, todos os candidatos podem demonstrar seus conhecimentos e habilidades ali mesmo no local, o que permite que os recrutadores encurtem o tempo que levam para selecioná-los.

Avaliar as habilidades de comunicação

Alguns cargos exigem que os candidatos tenham fortes habilidades interpessoais, o que coloca a linguagem corporal e a capacidade de se comunicar no topo da lista das características mais desejáveis.

Mas a boa notícia é que ambas podem ser analisadas ​​por meio de uma vídeo-entrevista simples, quase tão eficaz quanto durante um vídeo em pessoa. A empresa pode capturar a essência de cada candidato – a maneira como fala, veste e apresenta suas ideias e decide se elas seriam ou não adequadas para a empresa.

Escolhendo a plataforma de vídeo-entrevista certa

Embora o nível de adoção dessa tecnologia tenha se crescido bastante nos últimos anos, os RHs se dividem em duas categorias diferentes quando se trata de realizar vídeo-entrevistas:

  • os que solicitam aos candidatos gravações de vídeo sob demanda de perguntas de entrevista padronizadas;
  • entrevistas interativas menos estruturadas que usam ferramentas remotas de videoconferência.

As plataformas de vídeo-entrevista podem ser ferramentas de videoconferência de uso genérico, como o Skype e o Google Hangouts, ou mais específicas, como a Cammio, empresa americana focada em vídeo-entrevistas, ou a própria Recrutei, que muito em breve lançará uma funcionalidade de entrevista por vídeo com scorecard e integrada diretamente com nosso ATS (sistema de gerenciamento de candidatos).

Pensando nisso, elencamos aqui alguns pontos que você deve considerar nessa escolha:

  • Suporte a perguntas de texto, áudio e vídeo;
  • Formulários de avaliação personalizados (scorecards);
  • Instruções pré e pós-entrevista configuráveis;
  • Integração com ATS;
  • Notificações/lembretes da entrevista por e-mail;
  • Qualidade do suporte da plataforma.

E as entrevistas tradicionais?

Se você está em dúvida entre entrevistas presenciais ou por vídeo, considere que:

  • Os métodos tradicionais de contratação levam, em média, 45 dias para contratar uma nova posição (e não custam barato!);
  • O custo para a substituição de um funcionário pode ser de até 4 vezes o salário anual dele;
  • 80% da rotatividade de funcionários pode estar ligada a falhas no processo de contratação, de acordo com um estudo de Harvard;
  • Entrevistas em vídeo podem economizar até 67% nos custos de viagem necessários em comparação com técnicas de recrutamento mais convencionais.

Resumindo: não é barato contratar um funcionário, ainda mais quando se usa os meios tradicionais de recrutamento e seleção. A vídeo-entrevista entra como uma ótima alternativa para reduzir custos para a empresa e o candidato e, se bem estruturada, pode trazer assertividade e eficiência para seu processo seletivo.

Deixe uma resposta